8 de julho de 2011

DIVAGANDO




Sempre pensei na felicidade como sendo um quadro pintado, como sendo uma cena com atores e atos previsíveis.
Na minha jornada disseram que ela era assim.
Minha alma sempre quis ser feliz, por isso até não muito tempo esperava que esta felicidade um dia me alcançasse.
Com as impossibilidades da vida adulta, passei a acreditar mais nos improvisos...não me desiludi, me encontrei. Me desengessei, desintoxiquei. Descobri sorrisos fora de hora, pessoas melhores que eu, um EU melhor que o mEU! Descobri que os métodos são para grandes projetos, a felicidade não é um grande projeto, então não precisa de método!
Afinal você sabe o que é método???
As coisas flexíveis preenchem melhor os espaços do que as rígidas! Por isso, deixei de ser de ferro!
As colunas de minha alma estão sendo reconstruídas...
Eu prossigo minha jornada. Sou  co-autora de minha história. Faço questão de me entender, de entender as heranças famíliares, brigar com a minha criança, casar-me com a minha mulher! 
Hoje experimento a loucura, o erro, a fraqueza, admito as impossibilidades, não escondo os pecados, falo do que não sei, brigo, xingo...me descobri humana.
Mas...o que eu era antes? Um projeto de perfeição idiota!
Ahhh...vou dormir em paz!
Método: Conjunto de regras básicas  de como se deve proceder para alcançar determinados fins.

Jussara Barbosa

Um comentário:

Olá! Obrigada pela visita!