18 de abril de 2011

VIVER E NÃO TER A VERGONHA DE SER FELIZ!!!




Música: O que É o que É?
Composição: Gonzaguinha


Eu fico com a pureza

Da resposta das crianças

É a vida, é bonita e é bonita...

Viver!

E não ter a vergonha de ser feliz

Cantar e cantar e cantar

A beleza de ser um eterno aprendiz...

Ah meu Deus! Eu sei, eu sei

Que a vida devia ser bem melhor e será

Mas isso não impede que eu repita

É bonita, é bonita

E é bonita...


E a vida! E a vida o que é?

Diga lá, meu irmão

Ela é a batida de um coração

Ela é uma doce ilusão

Hê! Hô!...

E a vida

Ela é maravilha ou é sofrimento?

Ela é alegria ou lamento?

O que é? O que é?

Meu irmão...

Há quem fale que a vida da gente

É um nada no mundo

É uma gota, é um tempo que nem dá um segundo...

Há quem fale que é um divino

Mistério profundo é o sopro do criador

Numa atitude repleta de amor...

Você diz que é luxo e prazer

Ele diz que a vida é viver

Ela diz que melhor é morrer

Pois amada não é

E o verbo é sofrer...

Eu só sei que confio na moça

E na moça eu ponho a força da fé

Somos nós que fazemos a vida

Como der, ou puder, ou quiser...

Sempre desejada por mais que esteja errada

Ninguém quer a morte, só saúde e sorte...

E a pergunta roda e a cabeça agita

Eu fico com a pureza

Da resposta das crianças

É a vida, é bonita

E é bonita...



14 de abril de 2011

PROJETO REGULAMENTA PROFISSÃO DE PSICOPEDAGOGO




Boa notícia para quem já está na àrea e incentivo para quem estava em dúvida...
A Câmara analisa o Projeto de Lei 7855/10, do deputado Neilton Mulim (PR-RJ), que regulamenta a atividade de psicopedagogo. Pela proposta, poderão exercer a profissão pessoas graduadas em Psicopedagogia em instituições autorizadas; formadas em Psicologia, Pedagogia ou licenciatura que tenham especialização em Psicopedagogia, com duração mínima de 600 horas e carga horária de 80% na especialidade; e portadoras de diploma de curso superior que já venham exercendo ou tenham exercido atividades profissionais de psicopedagogia em entidade pública ou privada.
Segundo a Agência Câmara, o projeto é semelhante ao PL 3512/08, da ex-deputada Raquel Teixeira, que foi aprovado pela Câmara em dezembro de 2009 e atualmente aguarda votação no Senado (PLC 31/10).
Segundo a proposta de Neilton Mulim, são consideradas atividades e atribuições dos psicopedagogos:

- intervenção psicopedagógica que busque solucionar problemas de aprendizagem, com foco no indivíduo ou na instituição de ensino;

- realização de diagnóstico e intervenção psicopedagógica, por meio de instrumentos e técnicas próprios;

- utilização de métodos, técnicas e instrumentos psicopedagógicos amparados pelos preceitos básicos da multidisciplinaridade da área, com vistas a neurociências, psicologia, pedagogia e fonoaudiologia, entre outros;

- consultoria e assessoria psicopedagógicas, buscando identificar, compreender e analisar os problemas no processo de aprendizagem;

- apoio psicopedagógico aos trabalhos educacionais realizados em espaços institucionais;

- supervisão de profissionais em trabalhos teóricos e práticos de Psicopedagogia;

- orientação, coordenação e supervisão de cursos de Psicopedagogia; e

- direção de serviços de Psicopedagogia em estabelecimentos públicos ou privados.

Para o exercício da atividade, o projeto exige a inscrição do profissional em órgão competente ligado ao Ministério da Educação (MEC).

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Retrirado do blog  http://www.ivanilson.com/

11 de abril de 2011

GERAÇÃO FALANTE, EXIBICIONISTA E LOUCA!



Estava pensando sobre o tipo de pessoa que nos tornamos...
Talvez sejamos a geração mais expressiva de toda história! Geração exagerada, superficial, informada mas enlouquecida com tanta informação! Viviane Mosé diz que experimentamos o mundo dos exageros, sabe aquela frase " ou 8 ou 80"? É comum chamarmos uma mera conhecida de amiga " Ai amiga!", de colocarmos o ódio e o amor em lugares errados " Odeio ir ao shoping!", "Amo fazer compras!" De fato usamos as palavras com uma liberdade diferente das gerações passadas, onde o "Senhor" e "Senhora", "Benção pai", "Benção mãe", "Bom dia", "Boa tarde" davam legitimidade ao respeito e à reverência social. Tanta tragédia, tanto desvarios e exageros vieram no  pacote da tal "liberdade de expressão"!

Esta postagem vai ficar com um ar de "incompleta", pois escrevi   diante de vários fatos horríveis que presenciei esta semana em convívio social e que não dá para contá-los aqui, mas que demostraram como as pessoas  estão ficando horríveis! Aí você pode falar "nossa, mas tem gente boa", tem sim, mais hoje 11/04/2011 acho que tem é mais gente horrorosa mesmo, horrorosa no sentido da falta de respeito, falta de diálogo, exageros, etc., etc.,
Beijos!

4 de abril de 2011

BEBÊ PREMATURO & ANSIEDADE & FÉ


















Mínha mãe conta que nasci prematura de sete meses...
Disse que foi um parto muito difícil!
Minha infância foi rodeada de muita insegurança e ansiedade. Acordava durante à noite e via coisas, mesmo durante o dia também era sensível a outras situações, além de sofrer com a enurese (micção noturna).
Quando penso na minha trajetória de vida, agradeço  a Deus por ter percorrido o caminho do bem, da saúde, da sanidade mental, por ter tido forças pra virar o jogo ou a mesa na mudança de ciclos.
Dizem que os bebês prematuros depois que crescem ficam espertos, inteligentes e resistentes, não sei qual é o fundamento científico disso, mas eu sou assim, as minhas lutas e desvantagens me tornaram forte, mais cheia de FÉ!
Talvez lá no ventre de minha mãe eu tenha desejado tanto a vida que cheguei aqui antes, furei a fila!
Talvez alguma torcida contra para atrapalhar minha chegada, mas EU fui mais forte!
Talvez quisesse ser  o centro das preocupações, mostrar pra que vim, marcar minha chegada ao mundo!
Minha mãe fala que eu cabia em uma caixinha de sapato ( até hoje sou pequena, 1,5m rs), mas hoje me sinto grande na vida, nos desafios, na imensidão dos meus medos, no além das minhas privações...
Apesar de imaginar o sofrimento do nascer, várias foram as vezes que fui dormir em posição fetal, desejando aquele lugar chamado útero, casa provisória onde minha alma se casou, quentinho, seguro e escuro a fim de me livrar das desolações e vazio daqui de fora! Mas esta é a lei da vida: nascer, crescer, reproduzir e morrer. Em todas elas existe dor!
A felicidade é uma pessoa  vestida de branco, parecida com um médico...
Deus é um mágico!

Jussara Barbosa