18 de março de 2011

A TELA VAZIA



Basta uma tela vazia para que surja a inspiração para criar...


Porém, quantas vezes em vez de criar, inventar é mais fácil repetir?

Quem pode imaginar que inovação é um outro lado da frustração, da insatisfação?

Só quem está insatisfeito e frustrado, cria!

Eu sempre procurava encaixar alguma coisa no espaço que está vazio.

Não me importa o que seja desde que não me mostre a lacuna e o seu tamanho...

Entretanto, ultimamente tenho pensado que talvez o espaço vazio, tenha que permanecer assim como está...

Esta lacuna tem que permanecer vazia a fim de produzir o incomodo que precede toda mudança significativa.

E então da tela vazia brotam dor, perplexidade, assombro...

Hoje, ainda vejo uma tela vazia, mas sinto paz.

A mesma paz que senti quando entendi que nem tudo depende de mim.

Não sou tão poderosa quanto acreditava.

Saber que nem tudo depende de mim me enfraquece, me desempodera, me humilha, mas também liberta!

E enfim destronada, estou livre para viver as alegrias de uma simples mortal.
 
Por Paula Regina
 
Retirado do blog   http://transgredindoaordem.blogspot.com
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Obrigada pela visita!