18 de março de 2011

A RELAÇÃO CASAMENTO E AUMENTO DE PESO



Quem nunca ouviu essa relação ser discutida? Afinal, o que tem a ver a vida a dois com alguns quilos extras? A explicação do aumento de peso pode ter ligação com as mudanças nos hábitos alimentares, de vida, com as novas responsabilidades e obrigações.
Os motivos são vários, mas os resultados do aumento de peso são os mesmos: ele ganha barriga ela volume nos quadris e bumbum.
O próprio hábito de levar café da manhã na cama, que é muito comum entre os casais como forma de carinho, coopera para aqueles quilinhos extras. Outros hábitos como ir com mais freqüência a restaurantes, às compras, também podem contribuir, já que essas agora tendem a ser recheadas por alimentos como refrigerante, chocolate, salgadinho e bolacha.
Do ponto de vista psicológico, o aumento de peso durante o casamento está relacionado com a segurança afetiva, os parceiros agora se sentem mais tranqüilos, quanto às suas próprias imperfeições do corpo e as do parceiro.
Quanto aos outros hábitos de vida, como as atividades físicas, também ficam deixados de lado. O fato é que quando solteiros a rotina dos dois tinha espaço para malhação, então isso passa a ser secundário para o casal que aproveita para dedicar mais tempo ao outro.
As visitas às casas de parentes são mais freqüentes nos primeiros anos de casamento, garantindo-lhes aquele almoço de domingo com direito à entrada, sobremesa, etc.
É muito comum também receber amigos para conhecer a nova casa, e nessas ocasiões sempre tem um jantarzinho.
Comer nessa nova fase da vida, muitas vezes ganha um significado de cumplicidade, portanto cabe a cada um aproveitá-la com bom senso.



Psicologia - Brasil Escola


*******************************************************************************

A TELA VAZIA



Basta uma tela vazia para que surja a inspiração para criar...


Porém, quantas vezes em vez de criar, inventar é mais fácil repetir?

Quem pode imaginar que inovação é um outro lado da frustração, da insatisfação?

Só quem está insatisfeito e frustrado, cria!

Eu sempre procurava encaixar alguma coisa no espaço que está vazio.

Não me importa o que seja desde que não me mostre a lacuna e o seu tamanho...

Entretanto, ultimamente tenho pensado que talvez o espaço vazio, tenha que permanecer assim como está...

Esta lacuna tem que permanecer vazia a fim de produzir o incomodo que precede toda mudança significativa.

E então da tela vazia brotam dor, perplexidade, assombro...

Hoje, ainda vejo uma tela vazia, mas sinto paz.

A mesma paz que senti quando entendi que nem tudo depende de mim.

Não sou tão poderosa quanto acreditava.

Saber que nem tudo depende de mim me enfraquece, me desempodera, me humilha, mas também liberta!

E enfim destronada, estou livre para viver as alegrias de uma simples mortal.
 
Por Paula Regina
 
Retirado do blog   http://transgredindoaordem.blogspot.com
 

14 de março de 2011

SÉRGIO PIMENTA: MÚSICA CRISTÃ COM ÓTIMO TEMPERO!




Ministérios de adoradores extravagantes, espontâneos ensaiados, mantras enxarcados de lágrimas, declarações beijoqueiras de amor, ministrações de auto-ajuda triunfalistas, atrevidas e pidonas; tudo isso sob ritmos longe de qualquer característica tupiniquim. Em meio a tudo isso, há quem sinta falta de poesia e a simplicidade de um só violão bem brasileiro. Dizem que gosto não se discute. Eu digo que o bom senso tem sido torturado.


Sérgio Pimenta foi um dos poetas cristãos mais influentes na música cristã brasileira. Integrante do "Vencedores Por Cristo" nos anos 70 e 80. Autor de músicas como Cada Instante, Você pode ter, Pescador (A MINHA PREFERIDA), Tudo ou nada, Resposta Certa, É preciso, Vem comigo, Fruto da semente, Para sempre e mais, Quando se está só, A moça do poço, Fonte. Todas elas cheias de identidade musical brasileira. Não era pra menos, Sérgio Pimenta era negro, cariocão e estava vivendo numa época extramente fértil na MPB - década de 70 - quando pintavam Elis Regina, Tom e Vinícius, Chico Buarque, Edu Lobo, o pessoal do Clube da Esquina, Caetano e Gil, Carlos Lyra, os Novos Baianos, Alceu, Fagner, Belchior, Mutantes, João Bosco e outros gênios mais, inclusive os meninos de Liverpool. Some todas essas influências a uma profunda intimidade a Cristo. E, aqui, entenda intimidade não por chamar Jesus de amado, dizer que quer tocá-lo, abraçá-lo ou até beijá-lo. Mas um conhecimento dos designíos cultivado desde a infância através do milagre das escrituras, submissão a Deus e muita mansidão.

Foi o Sérgio juntamente com um time formado por Aristeu Pires Jr. de Brasília, os paulistas Guilherme Kerr, Nelson Bomilcar, Gerson Ortega, Arthur Mendes que mudaram a música cristã brasileira no disco "De Vento Em Popa" (1979) do VPC, abandandonado as traduções e partindo pras composições autorais. Além de querer trazer pras igrejas muita barulheira desde baião a Beatles numa época onde os cultos eram nada menos que solenes e bem "engomados" com sua música sacra, dando espaço apenas para o órgão. Esse, sim, foi um verdadeiro "reteté".

Sinto falta de algo como Pimenta para dar sabor a essa comida sem identidade que é a música (mau) servida no meio cristão. Não, eu não esqueci das especiarias poéticas João Alexandre, Jorge Camargo, Carlinhos Veiga, Expresso Luz, os meninos do Crombie, Baixo & Voz e alguns raríssimos tempeiros. Mas eles não estão nas mesas. O que, infelizmente, se encontra por aí é só fast-food, nada de 'sustança'. Talvez, porque ainda somos crianças na fé, só tomamos leitinho. E criança, ainda tem o paladar em formação, adora comer bagana. A gente mata a fome, mas não se alimenta. Não basta o pão servido em letras belíssimas e harmonias bem preparadas, o que é apreciado é um sanduba musical repetitivo com uma ministração ketchup pobres em nutrientes. Por que não uma feijoada com farinha?



Pimenta no meu ouvido é refresco pra alma!

 
 


CANTO DOS CÉUS!

Acabei de chegar da igreja. Sabe, durante muito tempo, fiquei sem frequentar este ambiente no qual fui criada e que tanto significou para minha formação. Estava cansada de balelas e de ouvir pessoas que mal entendiam sobre a vida, ou não conseguiam fazer a menor relação possível entre FÉ  e vida cotidiana!
Hoje foi um momento dos céus! Apesar de muitas críticas e posturas pessoais, reconheço a importância da Igreja em uma sociedade! Existe muito gente boa de Deus ainda por aí, falando a verdade que faz sentido, que dá significado a vida, as nossas experiências  e angústias diárias.
Deixo pra você que gosta do meu espaço, o link para um canto dos céus, pra você sentir Deus!
É uma pena que não dá pra transmitir a emoção em letras, mas no encontro de hoje, um pai cantou com uma linda menininha de uns 6 anos +- essa música que o avó lhe ensinou. Foi emocinante e ao mesmo tempo celestial. Você entende???
É muito bom tocar Deus e ser tocada por ele também, isto acontece quando há uma identificação do espiritual com tudo aquilo que você um dia viveu no contexto da Fé e não apenas da religião!


Cada Instante

Vencedores Por Cristo
Composição: Sérgio Pimenta


Cada instante contigo Senhor

Que passo aos teus pés

Eu sou mais feliz


Cada instante contigo Senhor

É paz em minha'lma

Suave harmonia

Do teu grande amor

É paz em minha'lma

Suave harmonia

Do teu grande amor!

Para ouvir http://letras.terra.com.br/vencedores-por-cristo/502259/