27 de dezembro de 2011

FELIZ VIDA NOVA!



   














            
Estou muito feliz! Me sinto plena, abundante!
Cheguei no caminho saudável de minha existência. Virei a curva!
O caminho certo para o coração é o caminho disponível.
Qual é o caminho disponível?
É o caminho do tempo,
Da coexistência,
Da releitura.
Do perdão.
Do amor sensato por mim sem exageros...
Da simplicidade.
Da malandragem de viver.
Da espera como estratégia.
Do deixar transparecer boba para alguns ( parecer sempre esperta é uma carta que nem sempre cai bem no jogo).
Do perder, pra ganhar depois ( engolir sapos sabendo que lá na frente tem um guisado!)
É o caminho que eu não tinha pernas pra andar!
Perna de pau, perna mecânica, meia perna, perna nenhuma!
Aprendi que o centro do mundo
Não é a ponta do meu pé!
Hoje estou disponível
Para aprender sobre vaidades,
Sobre o tempo que passa e não volta mais!
Estou disponível para brigas,
Mas também para a paz.
Estou adorando ser imperfeita!
Disponível para ouvir dos outros quem sou...
Mas não me venha com bobagens!
Adoro uma solidão!
A vida abriu suas portas para mim!
Sim, virei a curva, vejo um lindo horizonte e um tapete vermelho!
Vejo mares bravios, mas várias pontes e caminhos.
Na minha vida há o mestre do mar...
Existiu um tempo em que tive que me desdobrar pra pegar o "jeito" da vida,
Hoje parece que a vida é quem pega o meu jeito!
‘‘A vida é viciada em mim. Só tenho medo que
 ela tome uma overdose’’ - Mario Lago

Um beijo e feliz vida nova pra você também!



12 de dezembro de 2011

ESTATUTO DO NATAL!





Art. I:
Que a estrela que guiou os Reis Magos para o caminho de Belém guie-nos também nos caminhos difíceis da vida.
Art. II:
Que o Natal não seja somente um dia, mas 365 dias.
Art. III:
Que o Natal seja um nascer de esperança, de fé e de fraternidade.
Parágrafo único:
Fica decretado que o Natal não é comercial, e sim espiritual.
Art. IV:
Que os homens, ao falarem em crise, lembrem-se de uma manjedoura e uma estrela, que como bússola, apontam para o Norte da Salvação.
Art. V:
Que no Natal, os homens façam como as crianças:
dêem-se as mãos e tentem promover a paz.
Art. VI:
Que haja menos desânimos, desconfianças,
desamores, tristezas. E mais confiança no Menino Jesus.
Parágrafo único:
Fica decretado que o nascimento de Deus Menino é para todos: pobres e ricos, negros e brancos.
Art. VII:
Que os homens não sigam a corrida consumista de "ter", mas voltem-se para o "ser", louvando o Seu Criador.
Art. VIII:
Que os canhões silenciem, que as bombas fiquem eternamente guardadas nos arsenais, que se ouça os anjos cantarem Glória a Deus no mais alto dos céus.
Parágrafo único:
Fica decretado que o Menino de Belém deve ser reconhecido por todos os homens como Filho de Deus, irmão de todos!
Art. IX:
Que o Natal não seja somente um momento de festas, presentes.
Art. X:
Que o Natal dê a todos um coração puro, livre,
alegre, cheio de fé e de amor.
Art. XI:
Que o Natal seja um corte no egoísmo. Que os homens de boa vontade comecem a compartilhar,
cada um no seu nível, em seu lugar, os bens e conquistas da civilização e cultura da humildade.
Art. XII:
Que a manjedoura seja a convergência de todas as coordenadas das idéias, das invenções, das ações e esperanças dos homens para a concretização da paz universal.
Parágrafo único:
Fica decretado que todos devem poder dizer,
ao se darem as mãos:
FELIZ NATAL!


26 de novembro de 2011

JORGE CAMARGO- ALÉM DO JARDIM


Um dos que eu curto junto com João Alexandre, Sergio Pimenta, Vencedores por Cristo, Stênio Marcius e outros tão bons quanto!

4 de novembro de 2011

DOIS CHOROS


Houve um dia em minha vida em que disse para mim mesma "Bem vinda ao mundo dos adultos".
Neste dia me comprometi a não morrer de angústia...
A não sofrer mais do que o necessário...
A não achar que sou especial demais para não passar pelas dores que toda  humanidade passa!
Eu me achava especial demasiadamente.
Por isso entrei numa negativa e aprofundamento do sofrimento!
Assumi o compromisso comigo de não achar que as pessoas me devem amor, mas que eu devo a elas...
Assumi o compromisso de ser forte e fraca nos tempos devidos.
Hoje, exatamente agora, meu coração está cheio de gratidão aos céus.
Chorei antes de tristeza, de fraqueza, de esperança.
Hoje chorei por gratidão!
Gratidão a Deus pelos meus caminhos, pelos meus desalinhos, meus passinhos...
Pela pessoa que em mim encontrei, pelas pessoas que eu encontrei quando fui fraca.
Só as descobri porque fraca fui.
Em mim ecoa sobre o primeiro choro " O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem ao amanhecer". Sobre o segundo, meu coração canta "Grande é a tua fidelidade!"

Abraço forte!

12 de outubro de 2011

HUMILDADE


Não sei se meu pai aos 84 anos  lembraria do que me disse, quando aos 19 anos e hoje com 33, retornei aqui para o Rio de Janeiro para estudar. Ele disse  que eu fosse humilde. Mais uma de meu pai!!! Mais uma que eu não entendi na hora e fui compreender anos, muitos anos depois. O principal motivo que distanciou minha compreensão foi o de sermos pobres e de eu vir estudar aqui no Rio em condições bem simples, com dinheiro juntadinho, contadinho e um medo terrível de como iria conseguir me sustentar até o final. Últimamente tenho lido muito Rubem Alves. Ele escreve as coisas de minha alma! Lendo sobre humildade e querendo saber mais sobre essa simplicidade de vida que não é tão simples, me deparei com o  texto dele "Pastoreio". Texto belíssimo que suprimi pois é um tanto grande para o tamanho das postagens que considero razoável para o meu blog e destaquei algumas idéias que falaram à minha alma! Vale ler na íntegra:
http://www.rubemalves.com.br/pastoreio.htm

"...Eu não tenho a felicidade do meu amigo Alberto Caeiro, que dizia que só vê direito quem não pensa. Disse mesmo que pensamento é doença dos olhos. Entendo e concordo. Bom seria olhar para os campos e os meus pensamentos serem só os campos. Nos campos há árvores, brisa, céu azul, nuvens, riachos, insetos, pássaros. Você, por acaso, já viu uma ansiedade andando pelos campos? Ou uma raiva navegando ao lado das nuvens? Ou um medo piando como os pássaros? Não. Essas coisas não existem nos campos. Elas só existem na cabeça. Assim, se os meus pensamentos fossem iguais ao que vejo, ouço, cheiro e sinto ao andar pelos campos, o meu mundo interior seria igual ao mundo exterior, e a minha mente teria a simplicidade e a calma da natureza. Eu teria a mesma felicidade que têm os deuses porque, como o meu companheiro me segredou num momento de excitação teológica, nos deuses o interior é igual ao exterior. Eles não possuem inconsciente. Por isso são felizes.

Esse felicidade eu não tenho. Vejo e penso. Lembrei-me do conselho de Jesus, de que deveríamos olhar para flores do campo.

Olhei e elas começaram a falar. O que disseram? Disseram o que dizem sempre mesmo quando eu não estou lá. “Os seus olhos estão contemplando o que tem acontecido por milhares de anos. Por milhares de anos assim temos florescido. Por outros milhares de anos assim continuaremos a florescer. Muitos outros rebanhos perturbados como o seu já passaram por aqui. Mas deles não temos mais memória. Passaram e nunca mais voltaram. Desapareceram no Rio do Tempo. O Rio do Tempo faz todas as coisas desaparecerem. Por isso nada é importante. Nossas ansiedades também estão destinadas ao Rio. Também elas desaparecerão em suas águas. O seu sofrimento se deve a isso, que você se sente importante demais, que você não presta atenção na voz do Rio. Quando nos sentimos importantes nós ficamos grandes demais. E junto com o tamanho da nossa importância cresce também o tamanho da nossa dor. O Rio nos torna pequenos e humildes. Quando isso acontece a nossa dor fica menor. Se você ficar pequeno e humilde como nós, você perceberá que somos parte de uma grande sinfonia. Cada capim, cada regato, cada nuvem, cada coruja, cada pessoa é parte de uma Harmonia Universal. Quem disse isso foi Jesus. Ele disse que para nos livrarmos da ansiedade é preciso ficar humildes como os pássaros e as flores.

Aí o meu amigo Alberto Caeiro tomou a palavra e disse: “Quando vier a Primavera, se eu já estiver morto, as flores florirão da mesma maneira e as árvores não serão menos verdes que na Primavera passada. Sinto uma alegria enorme ao pensar que a minha morte não tem importância nenhuma.“

Eu fiquei assustado com essas palavras mas ele me tranqüilizou. “Se você se julgar muito importante, então tudo dependerá de você. Mas se você se sentir humilde, então tudo dependerá de algo maior que você. Você estará, finalmente, nos braços de um Pai ou no colo de uma Mãe. E quem está nos braços do Pai ou no colo da Mãe pode dormir em paz...“

Aí as flores do capim retomaram a palavra.

“O Inverno vem. Com ele o frio e a seca. Parecerá que eu morri. Mas minhas sementes já foram espalhadas. A Primavera vai voltar, e com ela a alegria das crianças e do brinquedo. Está lá nas Sagradas Escrituras: “Lança o teu pão sobre as águas porque depois de muitos dias o encontrarás.“ Coisa de doido. Pão lançado sobre as águas some, não volta jamais. Mas é assim que acontece no Rio de Tempo. Ele é circular. O que foi perdido retorna. O que vem vindo é o que já foi.
Olhei em volta e vi minhas ovelhas mansamente deitadas sob uma árvore...

(Transparências da eternidade, Verus, 2002)

1 de outubro de 2011

OLHAI OS LÍRIOS DO CAMPO!



Fui induzida por uma amiga a comprar um lírio que não sei sua especificidade, mas o fato é que ele é lindo, e está começando a se abrir! Essa atitude floresceu em mim a paixão que tenho por plantas, sei o nome de poucas, mas adoro! Também nunca tive "mão boa" como dizem por aí pra cuidar, mas tento! Fiz uma arrumação no pequeno e feio canteiro que tenho. Varri, reguei, protegi do cachorro, plantei mais algumas "coisas", coloquei prumos em algumas plantas que estavam muito inclinadas por conta da procura por luz. Ficou um pouco melhor... mas que delícia foi esse trabalho! Na verdade a sensação que tenho é que estou cuidando de mim! Amo trocar os vasos de lugar e ver em que posição ficam melhores naquele dia! Hoje, amo cada parte de minha morada. Rubem Alves disse que sempre pergunta a seus pacientes qual o lugar da casa que mais gostam...eu gosto de todos!
Com medo do lírio morrer, fui pesquisar sobre cuidados com lírios, com pressa li rapidamente que um determinado lírio era resistente. Liguei para a amiga e comentei que meu lírio não iria morrer pois era resistente! Ela me respondeu que não era bem assim, que alguns lírios são frágeis e que aqueles que a bíblia fala é que são fortes, pois não fazem nenhum esforço e ainda assim, sobrevivem as intempéries da natureza!

"Deus, faze-me forte a cada dia, planta-me em terras adubadas à sombra de outras árvores!"







21 de setembro de 2011

DEUS OUVE NOSSAS PETIÇÕES


Houve um tempo em minha vida  que não pensava em ser mãe. Embora ter filhos sempre tenha feito parte das brincadeiras de criança, depois que casei passei um longo período dando sonífero a este pensamento. Percebi  num determinado momento  que essa idéia estava tão distante, que se não corresse atrás, nunca mais alcançaria! É...a idade chega, nosso pique já não é mais o mesmo, sem contar que a produção de óvulos vai diminuindo na mulher após os trinta e muitos poucos! rsrs
Foi aí que um dia pedi a Deus que colocasse um desejo forte de ser mãe em meu coração, um desejo tão forte, que  fizesse ultrapassar meus medos e impossibilidades. Ainda não estou grávida, mas o desejo já está em meu coração, ele é tão forte que já começei a comprar meinhas, pantufas, fraldas de pano e outras coisitas  a mais! O mais legal de tudo é que as pessoas que me amam, estão grávidas emocionalmente junto comigo! Neste processo, tantos medos e sofrimentos se foram, e a Paz de Deus invadiu meu coração! Sei que o Pai que cuidou de nós como casal, continuará a cuidar  quando o pequeno ser estiver aqui!
Beijus da Jú

12 de setembro de 2011

HISTÓRIAS FAMILIARES


Sempre achei as histórias familiares um caminho importantíssimo para explicações de sucesso ou fracasso, impasses e avanços. Por mais contraditórias que sejam, é o caminho! As tramas e espiritualidade se repetem nas gerações com  melhoramentos ou regressões. Nessa estrada o que não é dito fala muito alto e o que é  sentido precisa ser ouvido...nossas intuíções dizem muito. Hoje conversei com uma de minhas irmãs e percebi o quanto nossa trajetória foi parecida, mesmo sendo criadas distantes, falamos de vivências paralelamente iguais! Costumo dizer que existe poucos modelos de pessoas e esses modelos se repetem. Conversando com ela, parecia que éramos figurinhas repetidas! Mas qual foi a herança familiar que atingiu a nós? Qual legado espiritual nos foi deixado para que tivéssemos enfrentamentos tão parecidos? Como não fomos criadas juntas, sinto que essa conversa será a chave para que algumas peças do meu quebra-cabeça familiar se complete. Amo muito tudo isso!
Beijo grande!

11 de setembro de 2011

RUBEM ALVES


“Contei meus anos e descobri
Que terei menos tempo para viver do que já tive até agora....
Tenho muito mais passado do que futuro...
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de jabuticabas...
As primeiras, ele chupou displicentemente..............
Mas, percebendo que faltam poucas, rói o caroço...

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades...
Inquieto-me com os invejosos tentando destruir quem eles admiram.
Cobiçando seus lugares, talento e sorte.....
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas
As pessoas não debatem conteúdo, apenas rótulos...
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos...
Quero a essência.... Minha alma tem pressa....
Sem muitas jabuticabas na bacia
Quero viver ao lado de gente humana...muito humana...
Que não foge de sua mortalidade.
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade....

7 de setembro de 2011

MARISA MONTE


"POUT-PORRI" DE MARTHA MEDEIROS


“Tristeza é quando chove
quando está calor demais
quando o corpo dói
e os olhos pesam
tristeza é quando se dorme pouco
quando a voz sai fraca
quando as palavras cessam
e o corpo desobedece
tristeza é quando não se acha graça
quando não se sente fome
quando qualquer bobagem
nos faz chorar
tristeza é quando parece
que não vai acabar”
****
Me recuso a dar informações
Sobre o paradeiro das minhas idéias malditas
Elas se escondem bem demais.
Só eu sei o caminho
Só eu sei em quem dói mais
*****
Você é feliz? Não espalhe, já que tanta gente se sente agredida com isso. Mas também não se culpe, porque felicidade é bem diferente do que ser linda, rica, simpática e aquela coisa toda. Felicidade, se eu não estiver muito enganada, é ter noção da precariedade da vida, é estar consciente de que nada é fácil, é tirar algum proveito do sofrimento, é não se exigir de forma desumana e, apesar disso tudo, conseguir ter um prazer quase indecente em estar vivo.
*****
Tem dias que não estamos pra samba, pra rock, pra hip-hop, e nem pra isso devemos buscar pílulas mágicas para camuflar nossa introspecção, nem aceitar convites para festas em que nada temos para brindar. Que nos deixem quietos, que quietude é armazenamento de força e sabedoria, daqui a pouco a gente volta, a gente sempre volta, anunciando o fim de mais uma dor – até que venha a próxima, normais que somos.

Martha Medeiros

6 de setembro de 2011

SUBIR PELO LADO QUE DESCE.



Viver é subir uma escada rolante pelo lado que desce. Ouvindo esta frase, imaginei qualquer pessoa nessa acrobacia que as crianças fazem ou tentam fazer: escalar aqueles degraus que nos puxam inexoravelmente para baixo. Perigo, loucura, inocência, ou uma boa metáfora do que fazemos diariamente? Poucas vezes me deram um símbolo tão adequado para a vida, sobretudo naqueles períodos difíceis em que até pensar em sair da cama dá vontade de desistir. Tudo o que quereríamos era taparmos a cabeça e dormirmos, sem pensarmos em nada, fingindo que não estamos nem aí… Porque Tânatos, isto é, a voz do poço e da morte, nos convoca a cada minuto para que, enfim, nos entreguemos e acomodemos. Só que acomodar-se é abrir a porta a tudo aquilo que nos faz cúmplices do negativo. Descansaremos, sim, mas tornando-nos filhos do tédio e amantes da pusilanimidade, personagens do teatro daqueles que constantemente desperdiçam os seus próprios talentos e dificultam a vida dos outros. E o desperdício da nossa vida, talentos e oportunidades é o único débito que no final não se poderá saldar: estaremos no arquivo-morto. Não que não tenhamos vontade ou motivos para desistir: corrupção, violência, drogas, doença, problemas no emprego, dramas na família, buracos na alma, solidão no casamento a que também nos acomodamos… tudo isso nos sufoca. Sobretudo, se pertencermos ao grupo cujo lema é: Pensar, nem pensar… e a vida que se lixe. A escada rolante chama-nos para o fundo: não dou mais um passo, não luto, não me sacrifico mais. Para quê mudar, se a maior parte das pessoas nem pensa nisso e vive da mesma maneira, e da mesma maneira vai morrer? Não vive (nem morrerá) da mesma maneira. Porque só nessa batalha consigo mesmo, percebendo engodos e superando barreiras, podemos também saborear a vida. Que até nos surpreende quando não se esperava, oferecendo-nos novos caminhos e novos desafios. Mesmo que pareça quase uma condenação, a idéia de que viver é subir uma escada rolante pelo lado que desce é que nos permite sentir que afinal não somos assim tão insignificantes e tão incapazes. Então, vamos à escada rolante: aqui e ali até conseguimos saltar degraus de dois em dois, como quando éramos crianças e muito mais livres, mais ousados e mais interessantes. E porque não? Na pior das hipóteses, caímos, magoamo-nos por dentro e por fora, e podemos ainda uma vez… recomeçar.
(Lya Luft)

7 de agosto de 2011



"As memórias de mim mesmo me ajudaram a entender as tramas das quais fiz parte"

Paulo Freire

31 de julho de 2011

PARECE QUE É NATAL!



Sentimento estranho...de verdade, acordei com impressões de que já vivi algum Natal com  o mesmo clima e temperatura de hoje. Minhas memórias emocionais possuem cheiro, cor, temperaturas, paladar...
Sentimento estranho no sentido de que falta um pouco menos de quatro meses para este evento internacional acontecer!
Mas...será que é Natal em meu coração??
Em meio as privações meu coração se alegra pelo esforço que tenho feito em ser melhor, em me respeitar, em reconhecer os limites da minha alma e ao mesmo tempo querer alongá-los  com muito respeito e sem agressões.
Hoje experimento o melhor de mim e o dou aos outros.
Minha sanidade consiste no às vezes não entender, no dar a vez pro outro, no recuar, na consciência de que não sou menos eu, mas no sentido de não me auto valorizar por demais. Ser quem eu sou é simples demais, porém um desafio neste mundo uniforme, onde todas as orquestras tocam a mesma música...existe um relógio maior, que não é cronológico, não é numérico,  é de leitura, de maturidade, de evolução para a permissão. Nele o tempo é contado de outra forma.
Acho que é Natal em meu coração!!! Ele transborda de alegria pelas coisas boas que nascerão em mim e que nem mesmo eu sei muito bem o que é!
Feliz Natal!

Bom domingo!

8 de julho de 2011

DIVAGANDO




Sempre pensei na felicidade como sendo um quadro pintado, como sendo uma cena com atores e atos previsíveis.
Na minha jornada disseram que ela era assim.
Minha alma sempre quis ser feliz, por isso até não muito tempo esperava que esta felicidade um dia me alcançasse.
Com as impossibilidades da vida adulta, passei a acreditar mais nos improvisos...não me desiludi, me encontrei. Me desengessei, desintoxiquei. Descobri sorrisos fora de hora, pessoas melhores que eu, um EU melhor que o mEU! Descobri que os métodos são para grandes projetos, a felicidade não é um grande projeto, então não precisa de método!
Afinal você sabe o que é método???
As coisas flexíveis preenchem melhor os espaços do que as rígidas! Por isso, deixei de ser de ferro!
As colunas de minha alma estão sendo reconstruídas...
Eu prossigo minha jornada. Sou  co-autora de minha história. Faço questão de me entender, de entender as heranças famíliares, brigar com a minha criança, casar-me com a minha mulher! 
Hoje experimento a loucura, o erro, a fraqueza, admito as impossibilidades, não escondo os pecados, falo do que não sei, brigo, xingo...me descobri humana.
Mas...o que eu era antes? Um projeto de perfeição idiota!
Ahhh...vou dormir em paz!
Método: Conjunto de regras básicas  de como se deve proceder para alcançar determinados fins.

Jussara Barbosa

2 de julho de 2011

ADORO SER MULHER!




Se eu nascesse novamente e fosse perguntado a mim qual sexo queria, responderia o feminino!
Adoro ser mulher!
Hoje saí com uma super amiga para comprarmos coisas de casa. Saímos às 10h e voltamos por volta das 15h. Rimos, falamos pra caramba e compramos coisas pra nossa casinha! Os maridos ligaram, estavam em casa, coitados! Não se choque, mas comprar para as mulheres é como se fosse um outro tipo de orgasmo! É ou não é?! Sem contar que hoje, nossa motivação era deixar nossas casas mais bonitas, aconchegantes...isso claro, é papel da mulher! Não consigo imaginar meu marido pensando em conprar uma lixeira melhor pra casa, ou um abajur, ou querer comprar uma caneca pra ele e outra igualzinha pro amigo, isso em meio a muitas gargalhadas! Você concorda??!
Adoro ser mulher...é muito bom ser mulher e não abro mão disso!
Bjs

14 de junho de 2011

FECHADO PARA REFORMAS.





É comum passarmos em uma loja ou coisa parecida e vermos uma placa dizendo" fechado para reformas, estamos trabalhando para atendê-lo melhor!" Não tenho aparecido muito por aqui, minha última postagem tem mais de duas semanas...sou de fases! Tem fase que quero contar, falar ao mundo! Tem fases em que me fecho...isso sempre acontece nas transições de minha vida, na troca de degraus. Nestes momentos não consigo escrever, apenas pensar, pensar e entender o que está acontecendo. Cada prego colocado, cada quadro tirado, cada parede pintada tem um significado e requer de mim reflexões, investimento espiritual para desvendar cortinas e assim crescer!
Bom, BOM, BOM, não é! Mas diz a Palavra " Até que todos cheguemos a maturidade, ao nível de homem ( ou mulher) perfeita".
Façamos assim...que seja assim para glória Dele!

P.S.: Aproveitando o tema, se puder ouça a música de Stênio Marcius de título " Tapeceiro".

18 de abril de 2011

VIVER E NÃO TER A VERGONHA DE SER FELIZ!!!




Música: O que É o que É?
Composição: Gonzaguinha


Eu fico com a pureza

Da resposta das crianças

É a vida, é bonita e é bonita...

Viver!

E não ter a vergonha de ser feliz

Cantar e cantar e cantar

A beleza de ser um eterno aprendiz...

Ah meu Deus! Eu sei, eu sei

Que a vida devia ser bem melhor e será

Mas isso não impede que eu repita

É bonita, é bonita

E é bonita...


E a vida! E a vida o que é?

Diga lá, meu irmão

Ela é a batida de um coração

Ela é uma doce ilusão

Hê! Hô!...

E a vida

Ela é maravilha ou é sofrimento?

Ela é alegria ou lamento?

O que é? O que é?

Meu irmão...

Há quem fale que a vida da gente

É um nada no mundo

É uma gota, é um tempo que nem dá um segundo...

Há quem fale que é um divino

Mistério profundo é o sopro do criador

Numa atitude repleta de amor...

Você diz que é luxo e prazer

Ele diz que a vida é viver

Ela diz que melhor é morrer

Pois amada não é

E o verbo é sofrer...

Eu só sei que confio na moça

E na moça eu ponho a força da fé

Somos nós que fazemos a vida

Como der, ou puder, ou quiser...

Sempre desejada por mais que esteja errada

Ninguém quer a morte, só saúde e sorte...

E a pergunta roda e a cabeça agita

Eu fico com a pureza

Da resposta das crianças

É a vida, é bonita

E é bonita...



14 de abril de 2011

PROJETO REGULAMENTA PROFISSÃO DE PSICOPEDAGOGO




Boa notícia para quem já está na àrea e incentivo para quem estava em dúvida...
A Câmara analisa o Projeto de Lei 7855/10, do deputado Neilton Mulim (PR-RJ), que regulamenta a atividade de psicopedagogo. Pela proposta, poderão exercer a profissão pessoas graduadas em Psicopedagogia em instituições autorizadas; formadas em Psicologia, Pedagogia ou licenciatura que tenham especialização em Psicopedagogia, com duração mínima de 600 horas e carga horária de 80% na especialidade; e portadoras de diploma de curso superior que já venham exercendo ou tenham exercido atividades profissionais de psicopedagogia em entidade pública ou privada.
Segundo a Agência Câmara, o projeto é semelhante ao PL 3512/08, da ex-deputada Raquel Teixeira, que foi aprovado pela Câmara em dezembro de 2009 e atualmente aguarda votação no Senado (PLC 31/10).
Segundo a proposta de Neilton Mulim, são consideradas atividades e atribuições dos psicopedagogos:

- intervenção psicopedagógica que busque solucionar problemas de aprendizagem, com foco no indivíduo ou na instituição de ensino;

- realização de diagnóstico e intervenção psicopedagógica, por meio de instrumentos e técnicas próprios;

- utilização de métodos, técnicas e instrumentos psicopedagógicos amparados pelos preceitos básicos da multidisciplinaridade da área, com vistas a neurociências, psicologia, pedagogia e fonoaudiologia, entre outros;

- consultoria e assessoria psicopedagógicas, buscando identificar, compreender e analisar os problemas no processo de aprendizagem;

- apoio psicopedagógico aos trabalhos educacionais realizados em espaços institucionais;

- supervisão de profissionais em trabalhos teóricos e práticos de Psicopedagogia;

- orientação, coordenação e supervisão de cursos de Psicopedagogia; e

- direção de serviços de Psicopedagogia em estabelecimentos públicos ou privados.

Para o exercício da atividade, o projeto exige a inscrição do profissional em órgão competente ligado ao Ministério da Educação (MEC).

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Retrirado do blog  http://www.ivanilson.com/

11 de abril de 2011

GERAÇÃO FALANTE, EXIBICIONISTA E LOUCA!



Estava pensando sobre o tipo de pessoa que nos tornamos...
Talvez sejamos a geração mais expressiva de toda história! Geração exagerada, superficial, informada mas enlouquecida com tanta informação! Viviane Mosé diz que experimentamos o mundo dos exageros, sabe aquela frase " ou 8 ou 80"? É comum chamarmos uma mera conhecida de amiga " Ai amiga!", de colocarmos o ódio e o amor em lugares errados " Odeio ir ao shoping!", "Amo fazer compras!" De fato usamos as palavras com uma liberdade diferente das gerações passadas, onde o "Senhor" e "Senhora", "Benção pai", "Benção mãe", "Bom dia", "Boa tarde" davam legitimidade ao respeito e à reverência social. Tanta tragédia, tanto desvarios e exageros vieram no  pacote da tal "liberdade de expressão"!

Esta postagem vai ficar com um ar de "incompleta", pois escrevi   diante de vários fatos horríveis que presenciei esta semana em convívio social e que não dá para contá-los aqui, mas que demostraram como as pessoas  estão ficando horríveis! Aí você pode falar "nossa, mas tem gente boa", tem sim, mais hoje 11/04/2011 acho que tem é mais gente horrorosa mesmo, horrorosa no sentido da falta de respeito, falta de diálogo, exageros, etc., etc.,
Beijos!

4 de abril de 2011

BEBÊ PREMATURO & ANSIEDADE & FÉ


















Mínha mãe conta que nasci prematura de sete meses...
Disse que foi um parto muito difícil!
Minha infância foi rodeada de muita insegurança e ansiedade. Acordava durante à noite e via coisas, mesmo durante o dia também era sensível a outras situações, além de sofrer com a enurese (micção noturna).
Quando penso na minha trajetória de vida, agradeço  a Deus por ter percorrido o caminho do bem, da saúde, da sanidade mental, por ter tido forças pra virar o jogo ou a mesa na mudança de ciclos.
Dizem que os bebês prematuros depois que crescem ficam espertos, inteligentes e resistentes, não sei qual é o fundamento científico disso, mas eu sou assim, as minhas lutas e desvantagens me tornaram forte, mais cheia de FÉ!
Talvez lá no ventre de minha mãe eu tenha desejado tanto a vida que cheguei aqui antes, furei a fila!
Talvez alguma torcida contra para atrapalhar minha chegada, mas EU fui mais forte!
Talvez quisesse ser  o centro das preocupações, mostrar pra que vim, marcar minha chegada ao mundo!
Minha mãe fala que eu cabia em uma caixinha de sapato ( até hoje sou pequena, 1,5m rs), mas hoje me sinto grande na vida, nos desafios, na imensidão dos meus medos, no além das minhas privações...
Apesar de imaginar o sofrimento do nascer, várias foram as vezes que fui dormir em posição fetal, desejando aquele lugar chamado útero, casa provisória onde minha alma se casou, quentinho, seguro e escuro a fim de me livrar das desolações e vazio daqui de fora! Mas esta é a lei da vida: nascer, crescer, reproduzir e morrer. Em todas elas existe dor!
A felicidade é uma pessoa  vestida de branco, parecida com um médico...
Deus é um mágico!

Jussara Barbosa

18 de março de 2011

A RELAÇÃO CASAMENTO E AUMENTO DE PESO



Quem nunca ouviu essa relação ser discutida? Afinal, o que tem a ver a vida a dois com alguns quilos extras? A explicação do aumento de peso pode ter ligação com as mudanças nos hábitos alimentares, de vida, com as novas responsabilidades e obrigações.
Os motivos são vários, mas os resultados do aumento de peso são os mesmos: ele ganha barriga ela volume nos quadris e bumbum.
O próprio hábito de levar café da manhã na cama, que é muito comum entre os casais como forma de carinho, coopera para aqueles quilinhos extras. Outros hábitos como ir com mais freqüência a restaurantes, às compras, também podem contribuir, já que essas agora tendem a ser recheadas por alimentos como refrigerante, chocolate, salgadinho e bolacha.
Do ponto de vista psicológico, o aumento de peso durante o casamento está relacionado com a segurança afetiva, os parceiros agora se sentem mais tranqüilos, quanto às suas próprias imperfeições do corpo e as do parceiro.
Quanto aos outros hábitos de vida, como as atividades físicas, também ficam deixados de lado. O fato é que quando solteiros a rotina dos dois tinha espaço para malhação, então isso passa a ser secundário para o casal que aproveita para dedicar mais tempo ao outro.
As visitas às casas de parentes são mais freqüentes nos primeiros anos de casamento, garantindo-lhes aquele almoço de domingo com direito à entrada, sobremesa, etc.
É muito comum também receber amigos para conhecer a nova casa, e nessas ocasiões sempre tem um jantarzinho.
Comer nessa nova fase da vida, muitas vezes ganha um significado de cumplicidade, portanto cabe a cada um aproveitá-la com bom senso.



Psicologia - Brasil Escola


*******************************************************************************

A TELA VAZIA



Basta uma tela vazia para que surja a inspiração para criar...


Porém, quantas vezes em vez de criar, inventar é mais fácil repetir?

Quem pode imaginar que inovação é um outro lado da frustração, da insatisfação?

Só quem está insatisfeito e frustrado, cria!

Eu sempre procurava encaixar alguma coisa no espaço que está vazio.

Não me importa o que seja desde que não me mostre a lacuna e o seu tamanho...

Entretanto, ultimamente tenho pensado que talvez o espaço vazio, tenha que permanecer assim como está...

Esta lacuna tem que permanecer vazia a fim de produzir o incomodo que precede toda mudança significativa.

E então da tela vazia brotam dor, perplexidade, assombro...

Hoje, ainda vejo uma tela vazia, mas sinto paz.

A mesma paz que senti quando entendi que nem tudo depende de mim.

Não sou tão poderosa quanto acreditava.

Saber que nem tudo depende de mim me enfraquece, me desempodera, me humilha, mas também liberta!

E enfim destronada, estou livre para viver as alegrias de uma simples mortal.
 
Por Paula Regina
 
Retirado do blog   http://transgredindoaordem.blogspot.com
 

14 de março de 2011

SÉRGIO PIMENTA: MÚSICA CRISTÃ COM ÓTIMO TEMPERO!




Ministérios de adoradores extravagantes, espontâneos ensaiados, mantras enxarcados de lágrimas, declarações beijoqueiras de amor, ministrações de auto-ajuda triunfalistas, atrevidas e pidonas; tudo isso sob ritmos longe de qualquer característica tupiniquim. Em meio a tudo isso, há quem sinta falta de poesia e a simplicidade de um só violão bem brasileiro. Dizem que gosto não se discute. Eu digo que o bom senso tem sido torturado.


Sérgio Pimenta foi um dos poetas cristãos mais influentes na música cristã brasileira. Integrante do "Vencedores Por Cristo" nos anos 70 e 80. Autor de músicas como Cada Instante, Você pode ter, Pescador (A MINHA PREFERIDA), Tudo ou nada, Resposta Certa, É preciso, Vem comigo, Fruto da semente, Para sempre e mais, Quando se está só, A moça do poço, Fonte. Todas elas cheias de identidade musical brasileira. Não era pra menos, Sérgio Pimenta era negro, cariocão e estava vivendo numa época extramente fértil na MPB - década de 70 - quando pintavam Elis Regina, Tom e Vinícius, Chico Buarque, Edu Lobo, o pessoal do Clube da Esquina, Caetano e Gil, Carlos Lyra, os Novos Baianos, Alceu, Fagner, Belchior, Mutantes, João Bosco e outros gênios mais, inclusive os meninos de Liverpool. Some todas essas influências a uma profunda intimidade a Cristo. E, aqui, entenda intimidade não por chamar Jesus de amado, dizer que quer tocá-lo, abraçá-lo ou até beijá-lo. Mas um conhecimento dos designíos cultivado desde a infância através do milagre das escrituras, submissão a Deus e muita mansidão.

Foi o Sérgio juntamente com um time formado por Aristeu Pires Jr. de Brasília, os paulistas Guilherme Kerr, Nelson Bomilcar, Gerson Ortega, Arthur Mendes que mudaram a música cristã brasileira no disco "De Vento Em Popa" (1979) do VPC, abandandonado as traduções e partindo pras composições autorais. Além de querer trazer pras igrejas muita barulheira desde baião a Beatles numa época onde os cultos eram nada menos que solenes e bem "engomados" com sua música sacra, dando espaço apenas para o órgão. Esse, sim, foi um verdadeiro "reteté".

Sinto falta de algo como Pimenta para dar sabor a essa comida sem identidade que é a música (mau) servida no meio cristão. Não, eu não esqueci das especiarias poéticas João Alexandre, Jorge Camargo, Carlinhos Veiga, Expresso Luz, os meninos do Crombie, Baixo & Voz e alguns raríssimos tempeiros. Mas eles não estão nas mesas. O que, infelizmente, se encontra por aí é só fast-food, nada de 'sustança'. Talvez, porque ainda somos crianças na fé, só tomamos leitinho. E criança, ainda tem o paladar em formação, adora comer bagana. A gente mata a fome, mas não se alimenta. Não basta o pão servido em letras belíssimas e harmonias bem preparadas, o que é apreciado é um sanduba musical repetitivo com uma ministração ketchup pobres em nutrientes. Por que não uma feijoada com farinha?



Pimenta no meu ouvido é refresco pra alma!

 
 


CANTO DOS CÉUS!

Acabei de chegar da igreja. Sabe, durante muito tempo, fiquei sem frequentar este ambiente no qual fui criada e que tanto significou para minha formação. Estava cansada de balelas e de ouvir pessoas que mal entendiam sobre a vida, ou não conseguiam fazer a menor relação possível entre FÉ  e vida cotidiana!
Hoje foi um momento dos céus! Apesar de muitas críticas e posturas pessoais, reconheço a importância da Igreja em uma sociedade! Existe muito gente boa de Deus ainda por aí, falando a verdade que faz sentido, que dá significado a vida, as nossas experiências  e angústias diárias.
Deixo pra você que gosta do meu espaço, o link para um canto dos céus, pra você sentir Deus!
É uma pena que não dá pra transmitir a emoção em letras, mas no encontro de hoje, um pai cantou com uma linda menininha de uns 6 anos +- essa música que o avó lhe ensinou. Foi emocinante e ao mesmo tempo celestial. Você entende???
É muito bom tocar Deus e ser tocada por ele também, isto acontece quando há uma identificação do espiritual com tudo aquilo que você um dia viveu no contexto da Fé e não apenas da religião!


Cada Instante

Vencedores Por Cristo
Composição: Sérgio Pimenta


Cada instante contigo Senhor

Que passo aos teus pés

Eu sou mais feliz


Cada instante contigo Senhor

É paz em minha'lma

Suave harmonia

Do teu grande amor

É paz em minha'lma

Suave harmonia

Do teu grande amor!

Para ouvir http://letras.terra.com.br/vencedores-por-cristo/502259/





8 de fevereiro de 2011

PERTENCER






















"Mesmo minhas alegrias, como são solitárias às vezes. E uma alegria solitária pode se tornar patética. É como ficar com um presente todo embrulhado com papel enfeitado de presente nas mãos - e não ter a quem dizer: tome, é seu, abra-o! Não querendo me ver em situações patéticas e, por uma espécie de contenção, evitando o tom de tragédia, então raramente embrulho com papel de presente os meus sentimentos."

Clarice Lispector




















Eu não quero uma vida pequena, um amor pequeno, uma alegria que caiba dentro da bolsa. Eu quero mais que isso.
Quero o que não vejo, quero o que não entendo, quero muito! Não nasci pra viver mais ou menos. Nasci com um par de asas, vou onde eu me levar. Não me venha com superfícies. Nada raso me satisfaz. Eu quero o mergulho! Entrar de roupa e tudo no infinito que é a vida. E acreditar que eu possa sair ainda bem melhor do lado de lá!


Desconhecido

23 de janeiro de 2011

AMO MEU MARIDO!


Hoje é manhã de domingo! Lindo e quente domingo! O marido querendo perder barriga, saiu pra caminhar, tão engraçadinho, de tênis e fone no ouvido...daqui a pouco volta e vou lá preparar um cafezinho para tomarmos à mesa, juntinhos...
Hoje me sinto feliz! Feliz em meu lar que amo muito!
Amanhã, já não sei... pode ser que eu acorde num mau humor terrível!
Mas fico com uma frase bíblica que diz " Basta cada dia o seu mal!" Mateus 6:34

19 de janeiro de 2011

A PALAVRA



















É uma roupa que a gente veste
uns gostam de palavras curtas
outros usam roupas em excesso.
Existem os que jogam palavra fora
pior são os que usam em desalinho
cores brigando, substantivos em luta.
Alguns usam palavras raras,
poucos ostentam palavras caras.
Tem quem nunca troca
tem quem usa a dos outros
a maioria não sabe o que veste!
Alguns sabem e fingem que não,
uns nunca usam a roupa certa pra ocasião!
Tem os que se ajeitam bem com poucas peças,
outros se enrolam em um vocabulário de muitas.
Eu adoro usar palavra limpa
tem gente que estraga tudo o que usa.
com quais palavras você se despe?




Viviane Mosé, poemas do livro "Toda Palavra"




17 de janeiro de 2011

AGORA SIM, PARABÉNS PRA MIM!


Fiquei muito feliz, pois este bolo foi meu mano que fez! Diga-se de passagem estava uma delíciiiaaa!
As vezes fico pensando que para sermos felizes precisamos de tão pouco...

12 de janeiro de 2011

PARABÉNS!!!!


Esqueci de postar que fiz aniversário dia 09/01. Embora algumas pessoas não recomenderm, comemorei um dia antes ( 08/01)! Disse que o máximo que poderia acontecer, seria eu morrer, mas aí, morreria feliz, pois já teria comemorado rsrsrs  puro misticismo!
Em dezembro, minha sobrinha também fez 15 anos. Que Deus nos abençõe e nos acrescente anos de paz e bem!

DOENÇAS


























A maioria das doenças que as pessoas têm

São poemas presos.

Abscessos, tumores, nódulos, pedras são palavras

calcificadas,

Poemas sem vazão.

Mesmo cravos pretos, espinhas, cabelo encravado.

Prisão de ventre poderia um dia ter sido poema.

Mas não.

Pessoas às vezes adoecem da razão

De gostar de palavra presa.

Palavra boa é palavra líquida

Escorrendo em estado de lágrima

Lágrima é dor derretida.

Dor endurecida é tumor.

Lágrima é alegria derretida.

Alegria endurecida é tumor.

Lágrima é raiva derretida.

Raiva endurecida é tumor.

Lágrima é pessoa derretida.

Pessoa endurecida é tumor.

Tempo endurecido é tumor.

Tempo derretido é poema

Receita para arrancar poemas presos:

Você pode arrancar poemas com pinças,

Buchas vegetais, óleos medicinais.

Com as pontas dos dedos, com as unhas.

Você pode arrancar poemas com banhos

De imersão, com o pente, com uma agulha.

Com pomada basilicão.

Alicate de cutículas.

Com massagens e hidratação.

Mas não use bisturi quase nunca.

Em caso de poemas difíceis use a dança.

A dança é uma forma de amolecer os poemas,

Endurecidos do corpo.

Uma forma de soltá-los,

Das dobras dos dedos dos pés, das vértebras.

Dos punhos, das axilas, do quadril.

São os poema cóccix, os poemas virilha.

Os poema olho, os poema peito.

Os poema sexo, os poema cílio.

Atualmente ando gostando de pensamento chão.

Pensamento chão é poema que nasce do pé.

É poema de pé no chão.

Poema de pé no chão é poema de gente normal,

Gente simples,

Gente de espírito santo.

Eu venho do espírito santo

Eu sou do espírito santo

Trago a Vitória do espírito santo

Santo é um espírito capaz de operar milagres

Sobre si mesmo.



Fonte: Mosé, Viviane. Pensamento Chão. 2ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2008. p. 35-39.

3 de janeiro de 2011

KARATÊ KID



Jaden Smith, filho do Will Smith no filme Karatê Kid, em uma cena diz que precisa retornar e finalizar a luta porque ele ainda tem MEDO!  Pede então ao treinador que o cure com uma das técnicas daquela cultura para que consiga retornar ao ringue. Retorna, se concentra e ganha a luta.
O medo deveria desempenhar em nós  função de enfrentamento, não de coação. O problema é que não questionamos nossos medos e fobias então, voltamos sempre ao mesmo ponto, não progredimos! O empasse se estabelece não na força braçal, mas na falta de entedimento, de percepção!
No filme, o menino diz que só saberá se venceu o medo ou não, se voltar e lutar. Nossa luta consiste em descobrirmos os caminhos que nossa memória emocional percorre ao ponto de nos oprimir, para então desativarmos a tecla de tensão. "Eureka"! É o descobrimento que vislumbra o conhecimento, que resulta na liberdade. Uma vez descoberto, o caminho se torna conhecido, portanto mais fácil de se retornar!
Embora o filme não seja tão denso quanto anuncia, deixa pra gente algumas dicas de reflexão que caracteriza a cultura chinesa como a arte da concentração, do equilíbrio e da repetição, coisas que passam desapercebidas em nossa cultura e que lá as crianças aprendem desde a infância   trazendo superioridade espiritual nos enfrentamentos da vida!

Um beijo grande!
Nos encontramos no pódio!