26 de novembro de 2010

"RIO 40 GRAUS, CIDADE MARAVILHA 'PURGATÓRIO' DA BELEZA E DO CAOS!"


morte-do-caos


O que está acontecendo no Rio de Janeiro já é notório mundialmente!
Mas no meio dessa guerra civil, outras guerras se entrelaçam...
Existem outras guerras dentro do povo!

Ontem peguei meu coletivo ( tenho muitas histórias que conto de dentro de ônibus rs )
e ao passar na roleta, o cobrador me deu um papelzinho que na hora não identifiquei
muito bem o que seria. Segurei o papel e fui procurar um assento. Ao sentar-me, peguei o "papelzinho" e fui ver o que era, percebi que era o que chamam de "folheto da Palavra de Deus" que tinha o título de AMOR DE MÃE. O autor fez um paralelo entre o amor de Deus e o amor de mãe. Sutilmente olhei para os lados e percebi que quase todos no ônibus liam alguma coisa parecida com aquela que estava em minhas mãos e um espírito de paz se concentrava naquele carro em movimento. Passei a observar então as pessoa que passavam na roleta, constatei que o cobrador estava    dando     aquela      mensagem    para todos no ônibus, diferenciando os das mulheres com o dos homens que se entitulava PAZ COM DEUS. Achei bacana e corajoso da parte do cobrador, pois em uma semana de caos social em que todos saíam para trabalhar em alerta e sob ansiedade, pensamos que refletir sobre Deus, seu amor e sua paz, só traz tranquilidade pra alma! Mas, no meio desse cenário de tranquilidade coletiva, tcham, tcham, tcham ( música de filme de terror ao fundo)...uma mulher para na roleta e pergunta "do que é aquele papel" se é de "Maria" ou de "José" e tumultuou o ambiente todo, impedindo que as pessoas passassem! Só depois de verificar o carimbo da igreja "Assembléia de Deus" no verso do papel é que ela se conformou em aceitar, dizendo que se fosse da Igreja Católica não aceitaria!

Existem outras guerras dentro do povo!

"DEUS NOS DEU ASAS. As religiões inventaram as gaiolas. Nossas asas são a imaginação. Pela imaginação voamos longe, muito longe, pela terra do nunca mais, pela terra do impossível, pela terra do impensado. Não entenderam? Leiam Cem anos de solidão do Gabriel Garcia Márquez que vocês entenderão. Eu até que entendo a razão porque se fazem gaiolas e cercas. Vejam o caso das galinhas. Se não vivessem em cercados, como colher os seus ovos? Se os pássaros não estivessem nas gaiolas, como possuir o seu canto? Cercas e gaiolas são construidas para se possuir aquilo que, de outra forma voaria livre, para longe... Faz tempo escrevi uma estória para a minha filha, A menina e o pássaro encantado. É sobre uma menina que tinha como seu melhor amigo um pássaro. Mas o pássaro voava livre. Vinha quando tinha saudades da menina. E depois ia embora e deixava a menina a chorar.. Aí a menina comprou uma gaiola... Essa estória eu a escrevi porque iria ficar muito tempo longe, nos Estados Unidos, e ela, minha filha de 4 anos, não queria que eu fosse. Fui e voltei. Depois de publicada fui informado de que a estória estava sendo usada por terapeutas como material para tratamento homens que queriam engaiolar as mulheres e mulheres que queriam engaiolar os homens. Aí um amigo me disse. “Que linda estória você escreveu sobre Deus...” Fiquei sem entender. Ele perguntou então: “ Mas o Pássaro Encantado não é Deus que as religiões tentam prender numa gaiola?” Cada religião anuncia que o Pássaro Sagrado está na sua gaiola, só na sua gaiola. Os outras pássaros, nas gaiolas das outras religiões, não são o verdadeira Pássaro Encantado... "

Rubem Alves


Paz,


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Obrigada pela visita!