28 de outubro de 2010

MEDO DA MORTE



Quando eu era criança, lembro do meu pai cantando na igreja uma música de
título SAUDADE. Nesta música o autor  fala de um lugar que ele não conhece
muito bem, mas que sabe que é bom! Ele se refere ao céu. É como se o autor
quisesse ir pra lá! Na verdade esta música, embora em nenhum momento
fale de morte, nos leva para um sentimento de partida. O Engraçado é que eu
deveria ter uns 8, 9 anos e morria de medo de que no momento em que meu pai
terminasse de cantar a música, morresse! Já tinha ouvido falar de casos de
pessoas que morreram dentro da igreja realizando alguma atividade. Não sei  se
todas as crianças  pensam na morte com angústia nesta idade, mas eu pensava
muito! Minha amiga disse que o filho dela nesta mesma faixa etária também é
assim, tem alguns momento de crise quando pensa na morte de seus familiares e
chora muito!
Eu ficava aliviada quando meu pai terminava a música e voltava para o meu ladinho
no banco da igreja!
******

"...É por volta dos oito anos que surge a fobia da morte ou "ansiedade dos oito anos", "crise existencial", ansiedade de separação. O temor principal é o da morte da mãe, pois se apresenta como uma separação, ou, acima de tudo, um abandono. Mais tarde, a morte pode ser personificada por uma figura idosa, que leva a pessoa amada."

http://www.marilzamestre.com/medo.php



27 de outubro de 2010

ADORO FRASES!

Essas frases são do poeta Fabrício Carpinejar que conheci este mês!


"Antes sem modos do que seguir a moda."

"Agradeço meus limites. Não me suportaria infinito. Os limites são vantagens."

"É fácil ficar em casa com chuva, difícil é ficar com o sol lá fora. Ficar em casa
com sol lá fora só com muito amor dentro."

"Nunca foi bom de matemática. Morreu de cálculo renal"

"Ando no escuro para tocar onde não devo. Amor é tocar onde não se deve. é curar sem entender a doença."

"Alguém dentro de mim mente para me proteger."

"Perder-se é uma maneira de fazer novos caminhos e quebrar a rotina. Ninguém acha um atalho sem se perder antes."

"A vida com erros de ortografia tem mais sentido. Ninguém ama com bons modos."

"Atendi o pedido de meus pais, de não falar com estranhos e até hoje não me escuto."

"Temos a ilusória sensação de que estamos certos. Mas o certo é nunca usar o poder
ou a superioridade para impor uma perspectiva. Só ganha no amor quem não quer ganhar."

"Escrever não é desistir de falar, é empurrar o silêncio para fora."

"Quando alguém diz que se sente em casa, desconfie, pode não ser um elogio."

"Quem confessa os erros não significa que está arrependido, pode estar se antecipando à crítica."

"O pecado não me constrange, o que me constrange é explicá-lo."
 
"A sinceridade não pode ser maior do que a educação."

"Casa mal-assombrada não é quando está vazia e abandonada, é quando fica cheia de parentes."

"Não deixo de acreditar nas coisas porque não existem. Eu também posso me inventar para elas."



se desejar visite
http://www.fabriciocarpinejar.blogger.com.br/

26 de outubro de 2010

O TELHADO






Quando a saudade aperta sem dizer suas razões, volto ao telhado da casa da vovó. Com pouco mais de 11 anos eu precisava fugir de um lar socado de gente. Subia os três metros do muro, agarrava-me à eira da casa e escalava minha cordilheira, o lugar de meu absoluto recolhimento. Sentava nas telhas de barro e por duas horas, que pareciam séculos, mirava o infinito. Às vezes me dá vontade de voltar lá, sentar no pináculo da catedral erguida por um pré-adolescente, cujo teto era o próprio céu, e ficar lembrando como aquela solitude representava um pedacinho da felicidade.

O sol opressivo grelhava a pele. O horizonte se limitava ao fundo do quintal. Mas o céu, antecâmara do infinito, se coloria com as lágrimas de minha inquietação pueril. O velho bangalô onde vivíamos tempos difíceis já foi esquartejado, pedra por pedra. Em algum monturo deve ter sobrado só uma telha com os sulcos carvados pelas gotas salgadas do resguardo existencial que me poupou da loucura.

Ainda consigo perceber as antigas melancolias, quase embotadas por anos de ativismo. Lembro de que eu sonhava viajar para longe; longe era qualquer lugar desconhecido. Querer partir mostrava sede de alguma coisa; prenúncio de um eterno suplício, que me induziria a repetir na vida adulta: “Sou como a corça que suspira por correntes de água...”

No velho telhado sussurrei minhas primeiras preces. Ali o Eterno contemplou um menino em horas intermináveis de idealismo, introspecção, amor e poesia. O menino, que ainda se parece comigo, transformava seu desterro em refrigério. Na cumeeira, as calhas convergiam em forma de cruz e eu, deitado, braços estendidos, abraçava o convite da solidão. Solidão construtiva, que sua sangue; pacífica, mas que atormenta.

Luto para que os muitos barulhos não te destruam, telhado amigo. Semelhante a ti, já tentaram me deitar abaixo, porém persistem as marcas de nosso deserto suspenso, que me deixava pertinho da Eternidade. Devo a ti poder repetir as palavras do poeta: “O tempo passa e junto passam os amigos, mas as memórias são para sempre”.

Na lancinante tarefa de viver, continuamos amigos. Telhado amigo, tu permaneces única testemunha das inquietudes de um homem que se sentia asfixiado em salas lotadas e se refazia com o cicio da bruma.


Ricardo Gondim

21 de outubro de 2010

Cuidando de nossas crianças e das crianças dos outros


Uso transporte público para ir trabalhar. No horário que saio, vários estudantes de várias idades utilizam o mesmo  ônibus que eu. Constantemente vejo crianças que em sua aparência não são cuidadas. Outro      dia uma pequena de mais         ou menos  seis   anos de idade ( pelo menos o tamanho indicava isso), entrou no transporte toda suja! Parecia que brincou, brincou na noite anterior  de uniforme e na manhã seguinte  acordou, pegou a mochila e foi pra escola! Um rapaz ( olha que homem é desligado pra essas coisas...) imediatamente olhou para mim e não resistiu em comentar a fotografia que visualizamos!
Hoje  um quadro  parecido. Outra menininha entrou no ônibus com sua irmã um pouco maior, com uma aparência não  bem cuidada. Sentou-se e abriu um saco do famoso "Fandangos". Ela perguntou a senhora  que a orientou   para que sentasse evitando cair, se queria um pouquinho do biscoito, a senhora que aparentava ser instruída disse que  ela deveria guardar o biscoito, pois na hora da merenda não teria o que comer. A criança balançou a cabecinha em concordância, ao mesmo tempo que percebi sua reflexão. Provavelmente o biscoito amarelo no ônibus era seu café da manhã!
Essas imagens de crianças desprotegidas mexem muito comigo! Fico pensando que serão crianças sem o menor senso de estética, de boa aparência, de alimentação saudável, de higiene. Crianças que vão para a escola dessa forma terão que refletir muito para que mais tarde não cheguem assim  no emprego. Provavelmente passarão vergonha em situações relativas ao seu asseio pessoal. Existem adultos que logo de manhã fedem, cheiram a suor, penso que não cultivaram ao longo da vida hábitos de higiene, de cuidados com o próprio corpo. Nós somos responsávéis também por isso. Fui criada longe de minha mãe, não tive o exemplo de vaidade feminina em minha casa, pois forte era a presença paterna, mas agradeço a Deus as senhoras que me davam dicas sobre essas coisas, cuidavam de mim. Até hoje sigo procurando modelos. Eu preciso me ver no outro. Imagino como são essas mães...que modelo de mulher passam para essas pequeninas! Aprendemos a nos maquiar, a nos vestir, pentear, baseados em padrões já existentes ao nosso redor
Uma criança não nasce sabendo que precisa acordar e lavar o rosto, escovar os dentes, pentear os cabelos, esses conceitos são os adultos que devem passar. Vivemos em uma sociedade com protocolos e devemos cultivar hábitos de cuidados com nossa saúde e aparência!
Sem querer ser preconceituosa e você leitor até concordará que as vezes vemos cada coisa na rua! É uma falta de harmonia de cores, estampas e peças que causam uma poluíção visual horrorosa!!!! É bem verdade que algumas dessas  pessoas até possuem situação finaceira estável, derrubando o conceito de que não é só pobre que se arruma mal, mas fico mais triste ainda quando vejo um "pobre" assim, principalmente se tratando de criança!
O ECA tem um  monte de coisas que são usadas de forma incoerentes, mas uma de suas músicas canta que toda criança tem direito a proteção à vida e à saúde, o direito ao respeito e integridade psíquica e moral, abrangendo a preservação da imagem e identidade.
Cuidemos pois de nossas crianças, das do vizinho também e de todas aquelas que podem ser alcançadas por nosso amor e cuidado!
Graça!

19 de outubro de 2010

MARTHA MEDEIROS





Sempre desprezei as coisas mornas, as coisas que não provocam ódio nem paixão, as coisas definidas como mais ou menos, um filme mais ou menos ,um livro mais ou menos.

Tudo perda de tempo.

Viver tem que ser perturbador, é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados, e com eles sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoraçao ou seu desprezo.

O que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia.



(trecho de O Divã)



GASTE SEU AMOR...





Gaste seu amor.

Usufrua-o até o fim.

Enfrente os bons e os maus momentos,

passe por tudo que tiver que passar,

não se economize.

Sinta todos os sabores que o amor tem,

desde o adocicado do início,

até o amargo do fim;

mas não saia da história na metade.

  Amores precisam dar a volta ao redor

       de si mesmo, fechando o próprio ciclo.

                Isso é que libera a gente para ser feliz de novo.



Martha Medeiros

MEUS EUS!



Ás vezes me sinto diante de um paredão, como se não houvesse mais saída para minhas esperanças, meus questionamentos!
Mergulho então numa solidão imperceptível. Já até me acostumei a ela!
Volto a roer minhas unhas na esperança de conseguir mais oxigênio...chego a superfície!
Meus olhos molhados conseguem ver apenas ilhas, nada mais...
Nasce o desejo de permanecer mergulhada na profundidade do mar onde tudo é escuro e
os peixes não possuem olhos...
Não seria melhor assim? Não ver? não enxergar? Não sentir?
Parece que quem se ausenta de alguma dessas opções segue melhor...caminha!

Eu continuo na aventura de saber lidar com meus eus, minhas representações.
Meus papéis indecifráveis que me remetem a uma outra vida,
na esperança de transpor barreiras, muralhas, oceânos!


Ass.: Eus


9 de outubro de 2010

SIGNIFICADO DO MEU NOME PARTE II

Como postei aqui, o meu nome significa espinho, eu jamais colocaria um nome com esse significado em meu filho, pelo menos se soubesse antes!
O fato é que gosto do meu nome  e aprendi que nem todo espinho é para fazer mal. Os espinhos das rosas por exemplo, são para proteção contra a podação e representam folhas que foram modificadas para que a planta evite a perda dàgua. Existem coisas, situações e pessoas que precisam ser furadas, espetadas para que o melhor apareça, se preserve. Por outro lado, o espinho também sinaliza atenção, cuidado, delicadeza. Ao pegar uma rosa que possui espinhos, você usa suas mãos de forma diferente de como usaria para apalpar uma outra flor normal, sem espinhos!
Não terminei ainda minha pesquisa rsrs, mas meu pai disse que foi ele quem escolheu este nome para mim e eu adorei! Na verdade, gostaria de ter um nome puramente africano, como não foi possível devido a história de desprezo dos meus irmãos africanos escravizados aqui  no Brasil, fico feliz por ter um nome de origem dos nossos nativos aqui das terra!
Mas o que eu queria dizer mesmo com esta história toda, é que nem tudo que parece ruim de fato  é!
Abraços!

JUSSARA

7 de outubro de 2010

BOA MÚSICA!

Ontem fui a um ajuntamento cristão e adorei quando o palestrante citou Sérgio Pimenta  falando uma parte de sua música " Fonte"! Vibro quando encontro pessoas  que falam dessa gente do passado que cantava o que era bom com muita brasilidade e que não está na mídia!
Como uma apaixonada por "Vencedores por Cristo" e por Sérgio Pimenta que já não está mais neste plano, deixo essa pra você!

FONTE
As palavras não dizem tudo,
Mesmo que o tudo seja fácil de dizer.
Com certeza fala bem melhor o mundo
Se sua atitude manifesta o que crê!


Compromisso, simiço, omisso:
Ou faz o que fala ou se cala de uma vez
Que não venha sobre si justo juízo,
Pois terrível coisa é cair nas mãos do Rei!



                                                     Mesma língua que abençoa - amaldiçoa
                                                     Mesma língua canta um hino e traz divisão
                                                     Não pode da mesma fonte o doce e o
                                                     amargo...
                                                     Se Cristo habita de fato nom coração

                                                     Sérgio Pimenta

SÓCRATES MORREU ENVENENADO!

SÓCRATES - 470 X 399 A.c.   

 
O objetivo maior de sua vida era ensinar os outros. Infelizmente, dizia ele, nem todos queriam ser aducados.
Um dia, ao chegar ao mercado para seu costumeiro debate filosófico, deparou-se com um aviso colocado na tribuna pública que dizia: "Sócrates é criminoso. É ateu e corruptor da mocidade. A pena de seu crime é a morte".
Foi preso e julgado pelos políticos cuja hipocrisia costumava denunciar nas praças públicas. Ao ser interpelado pelos juizes, recusou-se a defender-se dizendo que sua obrigação era sempre falar a verdade. Os juizes o consideraram culpado. Quando lhe perguntaram qual devia ser sua punição, ele sorriu sarcasticamente e disse: "Pelo que fiz por voz e pela vossa cidade, mereço ser sustentado até o fim de minha vida à expensas públicas". Foi condenado à morte.
Durante trinta dias foi mantido numa céla funerária. Mesmo diante da morte permaneceu calmo, discutindo tranqülamente o significado da vida e o mistério da morte.
Críton, o mais ardente dos seus discípulos, entrou furtivamente na cela e disse ao mestre: Foge depressa, Sócrates!
-Fugir por que? Perguntou-lhe.
- Ora, não sabes que amanhã te vão matar?
-Matar-me? A mim? Ninguém me pode matar!
-Sim, amanhã terás de beber a mortal taça de cicuta - Insistiu Críton. - Vamos, foge depressa para escapares à morte!
-Meu caro amigo Críton - respondeu-lhe - que mau filósofo és tu! Pensar que um pouco de veneno possa dar cabo de mim...
Depois puxando com os dedos a pele da mão, Sócrates perguntou: -Críton, achas que isto aqui é Sócrates?
E, batendo com o punho no osso do crânio, acrescentou: - Achas que isto aqui é Sócrates?... Pois é isto que vão matar, este invólucro material, mas não a mim. EU SOU A MINHA ALMA. Ninguém pode matar Sócrates!...
E assim o mais sábio homem de todos os tempos foi obrigado acabar a vida como um criminoso.
Ao beber o veneno, quando já sentia que seus membros esfriavam, despediu-se de todos com as mesmas palavras com que se dirigira aos juizes que o haviam julgado:" E agora chegamos à encruzilhada dos caminhos, meus amigos, ides para vossas vidas; eu, para a minha morte. Qual seja o melhor dêsses caminhos, só Deus sabe".



Fonte: http://www.webartigos.com/articles/16891/1/A-MORTE-DE-SOCRATES/pagina1.html#ixzz11mVVx8z3

6 de outubro de 2010

SIGNIFICADO DO MEU NOME

JUSSARA

Qual a origem do nome Jussara: TUPI
Qual o significado do nome Jussara: QUE TEM ESPINHOS...


Gosta de manter-se de igual para igual com qualquer pessoa numa disputa. Não se sente nem busca ser melhor nem pior que ninguém, é uma pessoa de mente aberta. Não gosta de ficar parado, pois tem grande agilidade mental e física. Gosta de passar seu tempo lendo e adora estudar, não deixa passar uma oportunidade de viajar. É daqueles que possui uma paixão invejavel pela vida. Não tem muita diplomacia na hora de dizer certas verdades, julgar ou criticar, costuma fazer isso à queima roupa.

Significado do nome Jussara - Sua marca no mundo!

OUSADIA, ESPÍRITO COMPETITIVO, INDEPENDÊNCIA, FORÇA DE VONTADE, ORIGINALIDADE

Independente e dinâmico são características de um líder, e é desta forma que é visto. É necessário à pessoa desta personalidade agir com tato, diplomacia e paciência, evitando de ser vista como egoísta ou autoritária. Com frequência é procurada para assumir projetos e empreendimentos pois sua autoconfiança e facilidade em enfrentar os obstáculos são qualidades notórias, e as pessoas acreditam na sua eficiencia em tomar conta das situações. É o tipo de pessoa que não se deixa afetar quando existe oposição à suas idéias ou ações. Por agir com equilibrio sempre tem o apoio dos que o seguem e acreditam na sua liderança.
 
 
 
 
 
Retirado do site significado e origem

Tudo
















Tudo é tão pouco, pouquíssimo

que cabe na concha da mão.

Tudo é tão leve, levíssimo

que revoa no instante impreciso.

Tudo é tão raro, raríssimo

que encanta o mais duro coração.

Tudo é tão frágil, fragilíssimo,

que se guarda em pura devoção.



Ricardo Gondim
Visite seu site:
http://www.ricardogondim.com.br/